Farrobodó e À Grande e à Francesa

Obra II

A 11 de Dezembro, nasce, no Palácio da Rua do Alecrim, o futuro 2º Barão de Quintela, também batizado Joaquim Pedro de Quintela, 1.º Conde de Farrobo. Uma figura que apesar da relevância na vida política, social e cultural de Portugal, será para sempre lembrado pela sua faceta dos excessos e festins desmesurados. E intrinsecamente associado ao Palácio nasce então a famosa expressão “farrobodó”. Durante nove meses, tantos quantos dura a primeira invasão francesa, o General Junot (1771-1813) estabelece o Quartel-General, bem como a sua residência oficial no Palácio Quintela. Portugal acabou por ser devastado pelas tropas gaulesas, que aqui praticaram as maiores atrocidades. Mas Junot, indiferente às situações de penúria e de miséria provocadas pelos invasores também em Lisboa, instalou-se no Palácio Quintela, na Rua do Alecrim, com despudorada ostentação. Junot dá assim origem à expressão “à grande à francesa”.

História Artística

Em Símbolo dos acontecimentos, o Mordomo, nosso Narrador mudo, serve o que já preconizaria um Inebriante Vinho do Porto, (pré-filoxérico Taylor’s) que proporciona alegria em seus Corações e pés levezinhos para a Dança…

160 x 109 CM

Técnica Mista sobre Tela

2016